Posts Tagged ‘melatonina’

Resumo cap 12, livro “Nutrição Cerebral” de Helion Povoa

Segue abaixo um trecho retirado do livro: “Nutrição Cerebral“, capítulo 12 (Os Smart Nutrients):

NUTRICAO CEREBRAL

“(…) Os Smart Nutrients são vitaminas, minerais, aminoácidos e gorduras que vêm apresentando uma ação positiva sobre todos os códigos de funcionamento do cérebro. (…)

O maior diferencial dos smart nutrients é o poder de melhorar especialmente a nutrição do córtex frontal, a região do cérebro mais sensível aos nutrientes e mais vulnerável à ação dos agentes poluentes, de qualquer ordem. Alguns smart nutrients também atuam destruindo os radicais livres, que degeneram o cérebro, e aumentando a produção de seus antioxidantes naturais. (…)

Atualmente, a lista de smart nutrients é muito grande e a todo momento uma nova pesquisa científica nos revela o valor de mais uma substância para otimizar as funções do cérebro. (…)

Vitamina D

(…) Acredita-se que a ação benéfica da vitamina D para a produção de NGF se dê pelo aumento que ela promove na síntese de proteínas que fixam o cálcio no interior das células. (…)

Vitamina E

(…) Tem papel protetor dos neurônios, que exerce fixando-se nas membranas das células, ricas em fosfolipídeos. Como é solúvel em gorduras (liposolúvel), a vitamina E impede as lesões do cérebro, composto de gorduras em sua maior parte. (…)

Tem também efeito protetor sobre o sistema imunológico e combate a oxidação do colesterol LDL.

Vitaminas do Complexo B

Estão envolvidas nos processos mitocondriais, daí terem uma importância imensa para o sistema nervoso. A vitamina B1 (tiamina) é essencial para a transformação de glicose em energia (…)

A vitamina B2 (riboflavina) é importantíssima para a memória, o humor e a aquisição de conhecimentos, pois regenera o glutatião, um dos maiores protetores celulares contra a ação dos radicais livres. (…)

A vitamina B3 (niacina) participa da manutenção de substâncias químicas nervosas e hormônios que regulam a memória e o pensamento. (…) Já a vitamina B6 (piridoxina) é muito importante para a formação de neurotransmissores (…).

Atuando sinergicamente, as vitaminas B12 e o ácido fólico vêm sendo muito utilizados no tratamento dos processos neurodegenerativos, pois ambos participam da síntese do DNA mitocondrial (…). Eles também participam da formação da bainha de mielina, que circunda os neurônios e acelera a condução dos sinais nervosos. (…)

Vitamina C

(…) Hoje, a vitamina C também está incluída no rol dos smart nutrients, pois, além de ser um dos mais poderosos antioxidantes que existem, tem o extraordinário poder de intensificar a ação antioxidante de diversos outros nutrientes. (…)

Cromo e Vanádio

Esses oligoelementos, que atuam de forma sinérgica no organismo, têm uma importância enorme no aproveitamento do principal combustível do cérebro, a glicose, pois são fundamentais para o bom funcionamento dos receptores da insulina. (…)

Selênio

É um oligoelemento que tem sido bastante utilizado como smart nutrient, pois é talvez o de maior poder contra os efeitos nocivos dos radicais livres. (…)o selênio ajuda a remover os minerais tóxicos que provocam problemas cerebrais como mercúrio, chumbo, bismuto, níquel e cádmio. O mineral tem ainda um papel protetor sobre a parede vascular, protegendo o cérebro de AVC (acidente vascular cerebral).

Lítio

É um mineral que estimula o prazer e o amor e inibe os receptores do circuito da dor. (…)

Zinco

Faz parte de uma enzima importantíssima no organismo que atua como um antioxidante primário, a SOD (superóxido dismutase). (…) Um indivíduo estressado tem formação deficiente de ácido clorídrico e por isso não consegue assimilar muito bem o zinco de sua alimentação. (…) Outra característica importante do zinco é sua ação protetora contra intoxicações por minerais tóxicos como o chumbo, o mercúrio e o cobre.

Cálcio e Magnésio

Ambos são minerais importantíssimos para os processos cerebrais. O cálcio participa da formação do óxido nítrico, um gás fundamental no organismo que possui ação vasodilatadora e beneficia a formação da memória. (…) Hoje reconhece-se muito a importância do cálcio, mas não se dá a mesma importância ao magnésio, que funciona como um bloqueador fisiológico do cálcio e evita que seu excesso provoque perigosas calcificações nas artérias e nos rins.

Ácidos Graxos Tipo Ômega 3

É uma gordura que possui enorme relevância fisiológica. No que se refere ao cérebro, o ômega 3 é excelente para a memória e aumenta os receptores de serotonina, dopamina e noradrenalina. Admite-se agora que, nas células, o ômega 3 fica localizados nos plasmalógenos, potentes antioxidantes encontrados principalmente nas membranas celulares dos neurônios, protegendo o cérebro e o sistema nervoso central dos radicais livres. (…)

Melatonina

É certamente o mais potente antioxidante endógeno que temos, pois faz uma verdadeira faxina de radicais livres no organismo durante a noite, sob o efeito da escuridão, em especial durante o sono REM (rapid eye moviment). (…)

Soja

Contém várias substâncias com valor nutricional e nutracêutico de relevância. A isoflavona e alguns de seus derivados (…) são exemplos. Estas substâncias são poderosos antioxidantes e possuem valor fitoestrogênico. Atribui-se ao estrogênio a função de reduzir a produção de placas amilóides no cérebro e auxiliar na preservação da memória, duas condições associadas à doença de Alzheimer.

A isoflavona tem atividade cerebral e inibe o progresso da aterosclerose e outras doenças neurodegenerativas (…).”

Retirado do livro: “Nutrição Cerebral”, 2005 – Editora Objetiva, de Helion Póvoa [Comprar o livro]

Anúncios

Resumo do Capítulo 7, livro “Nutrição Cerebral” de Helion Povoa

Segue abaixo um trecho retirado do livro: “Nutrição Cerebral“, capítulo 7 (O Papel dos Neurotransmissores) :

NUTRICAO CEREBRAL

“(…) Alguns receptores do cérebro possuem não apenas um, mas dois ou mais tipos diferentes de receptores. A serotonina, por exemplo, que é o neurotransmissor mais vinculado ao humor, tem, entre muitos, receptores do tipo 1 e do tipo 2. Quando se encaixa em seus receptores do tipo 1, por exemplo, a serotonina estimula o circuito do prazer. Mas quando se encaixa em seus receptores do tipo 2, ela estimula a dor. (…)

A noradrenalina, fundamental para o raciocínio, é importante porque faz com que não nos preocupemos com eventos de baixa probabilidade, quando em dose ótima. Mas em excesso, a noradrenalina sofre no cérebro o processo de metilação, transformando-se em adrenalina, que vai para o sangue e produz o medo, como já vimos. Isso provoca a ansiedade por antecipação, que é um componente da depressão. (…)

O ácido gama-aminobutírico (GABA) é outro neurotransmissor da maior importância porque freia a excitação do cérebro e controla o pensamento, para que não haja disparos excessivos entre os dois hemisférios que possam causar interferências nos circuitos de uma tarefa por outra.

O GABA também freia as respostas emocionais da amígdala, para que possamos usar a raiva, o amor e o medo no momento certo, na dose certa, com a pessoa certa, pelo motivo certo. (…)

A serotonina é o neurotransmissor mais vinculado à alegria e ao bem-estar porque sem ela não há como ativar a imaginação para encontrarmos saídas para os nossos problemas. E então ficamos com idéias estreitas sobre as situações, sobre a vida. (…)

Outra fantástica característica da serotonina é a de estimular diretamente a síntese da melatonina, um hormônio secretado pela glêndula pineal que é simplesmente o maior antioxidante que o organismo produz. Enquanto dormimos, melatonina promove uma verdadeira faxina de radicais livres em nosso cérebro, o que garante sua saúde e longevidade.

Os neurotransmissores são, portanto, substâncias essenciais. A correta quantidade e qualidade deles no cérebro nos garante a percepção, a imaginação e o raciocínio, para que possamos dar respostas sempre adequadas e proporcionais ao contexto, afastando-nos de tudo que possa degenerar nosso processo evolutivo.”

Retirado do livro: “Nutrição Cerebral”, 2005 – Editora Objetiva, de Helion Póvoa [Comprar o livro]