Posts Tagged ‘íons’

As Cargas Eletromagnéticas Negativas

As alterações climáticas

Popularmente diz-se “respira-se num ambiente negativo” para confirmar que se está num ambiente desagradável, quando realmente um ambiente com cargas de íons negativos é precisamente o contrário, quer dizer, são as cargas positivas as prejudiciais para a saúde e é fácil de comprovar pois as pessoas asmáticas, antes de uma tempestade ou quando esta se inicia, podem ter um agravamento de asma, uma vez que esta é motivada pelo excesso cargas positivas no ambiente.

Sentimos relaxamento e sensação de bem-estar quando nos encontramos perto de fontes ou cascatas, devido á quantidade de cargas de íons negativos acumulados no ambiente. O ar puro da montanha, o duche em casa, as ondas do mar, ou equipamentos geradores de ozono proporcionam essa sensação de conforto uma vez que impedem a contaminação dos ventos de origem desértica que é famosa pela alteração do comportamento humano.

Os ambientes naturais ricos em íons negativos encontram-se junto ao mar, nos bosques de pinheiros, perto de cascatas e quando se forma uma tempestade com relâmpagos. Basta colocar-se perto de uma cascata para sentir a influência que os íons negativos exercem sobre o nosso estado de ânimo. Um ambiente rico em íons negativos, regra geral, faz com que nos sintamos descontraídos com breves estados de euforia.

As alterações climáticas afetam-nos mais do que pensamos. Não só influenciam o nosso ânimo, como está comprovado, mas incide também na saúde e no bem-estar. Se nos doem as articulações em determinado momento, leva-nos a pensar que vai chover (velho ditado). Não temos nenhum dom específico de adivinhação, mas a humidade influencia todo o nosso metabolismo.

Do mesmo modo, e não é por mera casualidade, sentimo-nos cheios de energia quando sopram ventos frescos e quando começa a Primavera. O clima incide na nossa saúde, no humor, na disposição de sair de casa.

No século passado, iniciou-se um estudo mais profundo da relação entre os fenómenos climáticos e certas patologias, como o glaucoma, os transtornos cardíacos e circulatórios, cólicas renais e hepáticas e as alterações anímicas, como melancolia, desanimo e angustia. A investigação científica atual permitiu confirmar que as alterações climáticas coincidem com um aumento de doenças e de suicídios, crimes violentos e outras manifestações relacionadas com o comportamento e atividades humanas.

As cargas elétricas na atmosfera

O ar, como toda a matéria, é composto por moléculas. Cada molécula tem um núcleo formado por protões de carga positiva, rodeados de eletrões de carga negativa. A natureza trata de conseguir um equilíbrio entre os eletrões e os protões. A interação constante entre estas duas forças do universo, opostas e por vezes harmoniosas, representadas no oriente por yin e yang, produzem-se mesmo ao nível celular.

Um eletrão (carga negativa) é 1.800 vezes menos denso que um protão (carga positiva) e é facilmente eliminado através da contaminação. Os íons positivos abundam no ar contaminado e duplicam-se por fricção, o qual pode perturbar os íons negativos. O equilíbrio entre os íons é muito importante, ao ponto de que sem estes não sobrevivermos.

Na Rússia, um grupo de científicos experimentaram criar animais pequenos (ratos e coelhos) em ambientes sem íons – todos os animais morreram em poucos dias. Cientistas de outros países demonstraram que a alteração do equilíbrio natural dos íons é prejudicial ao bem-estar físico e emocional nos seres humanos A conclusão de numerosas investigações feitas em todo o mundo e relatadas em mais de 700 documentos científicos, demonstram que um excesso de íons negativo é benéfico.

Dentro de residências típicas de Tóquio, os íons positivos foram encontrados cerca de 500 vezes mais numerosos do que os íons negativos. Estes resultados podem ser devido a uma ventilação inadequada, tanto em edifícios de escritórios e de energia – casas eficientes, bem como a utilização de dispositivos eletrônicos que geram campos eletromagnéticos e de materiais de construção, que emitem formaldeído e outros vapores tóxicos. Por outro lado, os altos níveis de íons negativos, como a cachoeiras, águas termais e em outras áreas de elevada umidade, irá neutralizar os íons positivos, levando os mesmos a níveis muito baixos.

Além disso, nos últimos dados médicos no Japão relatam a existência de altos níveis de íons positivos no ambiente devido aos campos eletromagnéticos gerados a partir de computadores, wireless, telefones celulares e outros aparelhos eletrônicos, que podem prejudicar a função cerebral e enfraquecer o sistema imunológico, levando para uma série de doenças. Os sintomas incluem dores de cabeça, falta de energia, fadiga, ansiedade, irritabilidade, náuseas, dor de estômago, dificuldade para respirar, tontura rotatória (vertigem), falta de concentração e do desempenho mental, e distúrbios do sono.

Os íons positivos transformam-se em radicais livres no organismo, oxidando as células em todo o sistema. Eles danificam as células saudáveis e aumentam a acidez do sangue. Quando as células são oxidadas os níveis de ácido lático sobem drasticamente resultando em uma variedade de doenças. O equilíbrio dos sistemas endócrino, imunológico e nervoso autónomo é destruído e diminui a circulação sanguínea e linfática. Como resultado, aceleram os processos de envelhecimento… e o envelhecimento precoce ocorre.

Nada é natural quando acaba mal…

íons carregados positivamente na atmosfera são a principal causa de muitos dos principais problemas de saúde do ser humano, da terra e da biodiversidade, associada com os aerossóis lançados por aviões militares dos EUA e UK que lançam sais de bário, alumínio e outros metais pesados sobre as pessoas e agriculturas em quase todos os países do mundo. Pouca ou nenhuma consideração tem sido dada à questão de íons positivos / negativos por aqueles que gerenciam os projetos atmosféricas, conhecidos por “Chemtrails”, projeto “Solar Radiation Management” flights (SRM) , “Case Orange” ou projeto “Coverleaf”, entre outros nomes. Acresce-se a isto naturalmente as emissões HAARP (emissões de cargas de radiação eletromagnética).

Os íons negativos não estão presentes em números normais no planeta atualmente, porque as condições que geram íons negativos têm estado a ser limitadas, como resultado das atividades de projetos militares e de governos na atmosfera.

O que são os íons?

Os íons são partículas invisíveis, quer de moléculas ou átomos, que carregam uma carga elétrica. Os átomos, por exemplo, consistem de um núcleo atómico que contém neutrões neutros e protões positivamente carregados, bem como eletrões que são carregados negativamente. Quando um átomo está em estado neutro, o número de protões (+) e eletrões (-) é igual. Quando o número de protões e eletrões não são os mesmos, a partícula torna-se num íon, quer seja carregado positivamente ou negativamente. De modo geral, os íons positivos são prejudiciais ao corpo humano, enquanto os íons negativos são benéficos.

íon Positivo: um átomo (ou molécula) que perdeu um ou mais eletrões devido a um impacto de alta energia.

íon Negativo: um átomo (ou molécula) que ganhou um ou mais eletrões carregados negativamente.

O equilíbrio de íons negativos e positivos é crucial para a saúde

No início do século 20, a proporção na atmosfera era de 1,2 íons negativos para cada íon positivo. No entanto, nos últimos anos, a proporção se inverteu e agora são 1,2 íons positivos para cada íon negativo. Isto é devido aos riscos ambientais, como poluição do ar e da água (dos quais os Chemtrails serão dos principais responsáveis), campos eletromagnéticos, e outros fatores poluentes.

Como mencionado acima, o equilíbrio de íons negativos e positivos no ar é facilmente perturbado. Um bom exemplo disto pode ser visto nas alterações dos níveis de íon associado com a atividade de tempestades. Várias horas antes de uma tempestade, por exemplo, a baixa pressão atmosférica faz com que o número de íons positivos no ar aumentem dramaticamente, para níveis por vezes superior a 5000 íons por cm³. Em contraste, durante uma tempestade, os íons negativos aumentam a vários milhares por cm³, enquanto diminuem os íons positivos – muitas vezes abaixo de 500 por cm³ (poderá detetar de forma semelhante altas concentrações de íons negativos próximo de cascatas).

Na nossa vida diária, podemos experimentar diretamente a energia de íons no ar em forma de eletricidade estática – especialmente no inverno, quando o ar está seco. A eletricidade estática é causada por uma alta proporção de íons positivos para os íons negativos por causa da falta de humidade no ar.

Os íons negativos são extremamente benéficos para o metabolismo de uma pessoa como um meio de melhorar o comportamento humano. Eles atuam num complexo mecanismo para provocar reações hormonais e bioquímicas no corpo e no cérebro.

Existem atualmente no mercado vários purificadores de ar e ionizadores ambientais de qualidade que conseguem equilibrar os íons negativos em espaços fechados.

Como afeta a sua saúde?

Os íons positivos ou a falta de íons negativos podem causar a síndrome da hiperfunção da serotonina ou o “síndrome de irritação”, que envolve insónia, irritabilidade, tensão, enxaquecas, náuseas, palpitações, ondas de calor com suor, tremores e tonturas. Os idosos tornam-se deprimidos, apáticos e extremamente cansado. Os níveis de stress aumentam…

Normalmente, as perturbações do humor nos seres humanos (depressões) são eficazmente tratadas com uma panaceia de fármacos que bloqueiam especificamente a recaptação da serotonina, como por exemplo a fluoxetina (Prozac) e Zoloft, entre outros. Isto sugere que os íons negativos podem desempenhar um papel nestas condições e que as mesmas podem ser seguramente utilizadas como terapia..

Diz-se que 2% do oxigénio que respiramos transformam-se em radicais livres no nosso corpo. Quando esses radicais livres se combinam com os radicais livres produzidos por outras fontes (tais como metais pesados, produtos químicos, bactérias, vírus e os íons positivos) tornam-se ainda mais prejudiciais. Os íons negativos trabalham para evitar a oxidação, neutralizando os radicais livres nas células. Como resultado, as células são revitalizadas e a imunidade e resistência são reforçadas. Os íons negativos podem também trabalhar para equilibrar o sistema nervoso autónomo e melhorar a função gastrointestinal. Eles podem relaxar o corpo e a mente, promover o sono profundo, aumentar o metabolismo, apetite e estabilizar a pressão sanguínea, melhorar a recuperação do cansaço físico e ajudam a sentir-se renovado e revigorado. Os íons negativos são essenciais para a saúde global.

Antes de uma tempestade, a concentração de íons positivos torna-se três vezes mais do que a quantidade de íons negativos. Adultos, crianças e animais reagem com irritação às intempéries, assim como poderá deixar os seres humanos mais propensos a doenças ou a acidentes, erros estúpidos, e irracionais, impaciência e irritação, pela presença de anormal subida de íons positivos. A lua cheia aumenta os níveis de íons positivos, o que explica o comportamento estranho e agressivo observado por estatísticas na polícia e nos serviços médicos. Estudos demonstram que 75% da população é visivelmente e negativamente afetada por subidas de íons positivos, enquanto o aumento íons negativos tendem a ter uma influência calmante sobre essas mesmas pessoas.

Alguma vez já se questionou por que é que você se sente irritado, nervoso, tem dores no corpo ou dores de cabeça, e parece muito ansioso durante esse momento, um pouco antes de uma tempestade? A falta de íons negativos e um excesso de íons positivos são os responsáveis. O início da tempestade produz um desequilíbrio de íons no ar antes de quedas de chuva ou da neve acalmarem o ambiente.

Há uma quantidade impressionante de evidências que liga a pressão barométrica baixa antes de tempestades ao comportamento errático. Este é o momento em que os íons positivos no ar superam os íons negativos, numa proporção de mais de 3-1. Nestes períodos existem mais tentativas de suicídio, maior número de acidentes graves ocorrem nas estradas e nas fábricas, e existe também uma elevada incidência de desmaios de pessoas. Uma análise dos registos de cerca de 2000 alunos de escolas públicas demonstrou que os seus rácios de “conduta” cederam visivelmente antes de uma tempestade.

íons positivos incentivam um aumento de desconfortos físicos que vão desde dores de cabeça e náuseas às familiares pontadas reumáticas que antecedem as tempestades. Mesmo a taxa de cicatrização de feridas é retardada, enquanto o risco de infeção acelera. A tensão e a depressão são certamente mais comuns.

Por outro lado, o ar com íons negativos – quando o clima é bastante confortável – não só estimula o moral, mas na verdade alivia certas doenças cronicas. Experiências com ionização negativa mostraram melhoras acentuadas em pessoas que sofrem de pressão alta, asma e febre dos fenos.

Ionização positiva contribui para a quebra de “personalidades bordline” e de doentes mentais. Em dias quentes de verão, quando o índice de íons positivos sobe, mais neuróticos resvalam para a psicose patológica do que em outros períodos, concordam psiquiatras. Crimes sexuais aumentam, como também todas as categorias de crimes de violência, de agressividade nas estradas, assaltos a pessoas na saída de bancos ou multibancos e o furto torna-se um sério problema nas áreas comerciais.

Entre outros aspetos, os ventos ricos em íons positivos, prejudicam o nosso sistema bioquímico e aumentam os níveis de serotonina – a qual provoca irritabilidade e tensão. Designam-se como “ventos das bruxas”, são muito quentes e secos, produzem um aumento da temperatura ambiental e diminuem a pressão atmosférica, criando uma alteração do estado elétrico da atmosfera com a predominância de cargas positivas. Estes ventos exercem uma influência negativa sobre a maioria das pessoas, que se traduzem em dores de cabeça, cansaço, inchaço nas extremidades do corpo, náuseas, e inclusivamente, reações violentas por transtornos de comportamento. Dão origem a importantes transtornos fisiológicos, especialmente nas pessoas que têm um sistema nervoso muito sensível. Os sintomas mais característicos são: agitação, insónias, febres, constipações, transtornos respiratórios e digestivos, crises convulsivas, dores de cabeça, náuseas, irritabilidade e depressão.

Todos estamos expostos aos campos elétricos e magnéticos, tanto no local de trabalho como em casa, desde que produzam transmissão de eletricidade; dos eletrodomésticos aos equipamentos industriais, aos produzidos pelas telecomunicações, pela difusão de rádio, telefonia e televisores. Recordemos que o nosso organismo possui cargas iónicas em contínuo movimento, produzindo pequenas correntes elétricas, prova disso é a deteção de descargas produzidas pelo coração e que são detetadas pelos aparelhos de eletrocardiograma ou pelos impulsos nervosos.

Quando se utiliza um telemóvel, percebe-se as interferências nos aparelhos recetores; rádio, tv, radar, inibidores de frequências e até equipamentos informáticos, apesar de não existirem estudos médicos que comprovem estes efeitos nocivos, as portas estão abertas para esta evidência Tanto os campos elétricos como os magnéticos, induzem tensões elétricas e corrente no organismo.

O que poderemos então dizer do constante bombardeamento de toneladas de químicos lançados pelos projetos de controlo climático e militar designados como Chemtrails, os quais destroem as nuvens naturais e o equilíbrio dos íons na atmosfera? Se algum destes sintomas anteriormente referido o afeta, verifique se ele aparece mais nos dias de maior bombardeamento de rastos químicos… basta olhar melhor para o céu. Gradualmente ao longo dos anos, uma densa camada de químicos envolve cada vez mais este planeta, transformando a atmosfera num enorme plasma através duma nanotecnologia lançada subtilmente por aviões disfarçados de comerciais, em nome da “proteção solar” para “controlo climático”, quando na realidade se trata duma arma militar e económica, que zelam interesses particulares…

O processo da serotonina e seus efeitos

Quando muitos íons positivos estão presentes no ar antes de uma tempestade, a carga positiva é transferido nesse mesmo ar que você respira para os seus pulmões e para o sangue, fazendo com que as plaquetas do sangue libertem um hormónio que afeta fortemente o seu humor, as suas articulações e outras funções fisiológicas no seu corpo. Algumas pessoas apresentam sintomas de artrite. O clima realmente afeta a sua rotina.

Quando o oxigénio é reabsorvido através dos alvéolos do pulmão, as moléculas ionizadas são retomadas como moléculas de oxigénio normais e passam para os glóbulos. Os glóbulos vermelhos do sangue, cuja hemoglobina é oxigenada pelo ar durante a inspiração, recebem também o oxigénio ionizado. A carga negativa é transportada para todo o corpo, enquanto que a carga positiva pode atacar as plaquetas do sangue (trombócitos), que em pacientes sensíveis libertam a sua hormona irritante – a serotonina.

A liberação de serotonina produz secura, ardor e prurido do nariz, obstrução nasal, dores de cabeça, garganta seca e arranhada, dificuldade em engolir, boca seca, tonturas, dificuldade em respirar, e comichão nos olhos. Os íons negativos não produzem esta síndrome da serotonina desagradável, pois eles agem diretamente sobre a enzima respiratória e promovem a respiração celular.

Com base nesses fatos, parece razoável referir que os íons do ar são positivos “libertadores de serotonina” e que uma acumulação local de serotonina na traqueia é a causa imediata de efeito do íon positivo.

Em cada respiração, os íons do ar são realizados no trato respiratório, para serem transferidos dos pulmões para a corrente sanguínea, através dos trombócitos. Se entrarem como parte de moléculas de oxigénio, os íons negativos e íons positivos são transportados pelos seus glóbulos vermelhos. Os íons positivos afetam os trombócitos ocasionando alergias, produzindo a hormona serotonina (5-HT). A serotonina atua como um constritor brônquico e retarda a ação de compensação dos cílios permitindo assim o engrossar da mucosa. Se você for uma daquelas pessoas que sofra de febre dos fenos ou algum outro problema respiratório, poderá perceber que a serotonina agrava a sua condição física. Haverá menos capacidade de limpeza de alérgenos e poluentes no seu trato respiratório do que nos pulmões de outras pessoas.

É esta potente e versátil neuro hormônio serotonina, que é responsável por muitos dos sintomas desagradáveis ​​sofridos por pessoas que respiram um ar ionizadamente positivo na atmosfera. Algumas pessoas, especialmente idosos, podem sentir dificuldade em respirar; poderá surgir o arfar respiratório nos asmáticos, as pessoas reumáticas podem sentir as suas articulações com dores e, em geral, sono menos profundo ou insónia, irritabilidade e tensão. Poderá sentir-se que o cabelo e a pele têm uma “carga elétrica”. Pacientes com enxaqueca podem sofrer com náuseas e vómitos, e distúrbios óticos. Casos cardíacos poderão queixar-se de palpitações ou dor no coração, e de opressão. Mulheres antes da idade da menopausa poderão queixar-se de ondas de calor com suores ou calafrios. Pacientes com a febre dos fenos poderão ter fortes ataques de rinite com conjuntivite, embora isso possa não acontecer na verdadeira temporada da febre dos fenos. Tontura, tremor, e distúrbios do equilíbrio poderão surgir, assim como diarreia e um desejo constante de urinar.

Tudo isso acontece a partir de estimulação da secreção de serotonina pela exposição ao ar contendo altas densidades de íons positivos. Uma vez que os íons negativos são capazes de reverter os efeitos de íons positivos, acelerando o ritmo a que a serotonina é oxidado.

Em geral, a exposição ao ar ionizado negativamente demonstrou aumentar a oxigenação dos pulmões, a capacidade vital, e a atividade ciliar. Também poderemos experimentar uma normalização das atividades das glândulas endócrinas, que desempenham um papel importante na redução dos efeitos do stresse.

Estudos de ondas cerebrais mostram um aumento na amplitude do cérebro com melhor capacidade de pensamento, uma mudança de atividade alfa para a área frontal do cérebro para uma melhor habilidade conceitual, e uma maior sincronização dos hemisférios cerebrais direito e esquerdo para um maior equilíbrio da personalidade. Seu corpo realiza uma normalização do metabolismo de vitaminas e um aumento na capacidade de trabalho estático, dinâmico e de resistência. Se você for uma mãe a amamentar será capaz de produzir mais leite de maior qualidade para o seu bebé.

Estamos a chegar a um tempo em que a todas as formas vivas de vida e também o nosso solo agrícola exigirão íons negativos para sobreviver, pois os íons negativos que se formam no ar entram em decadência alguns segundos depois de serem criados naturalmente.

Os íons negativos são tão necessários como a água e o ar para os seres humanos, animais e solo. Se existem sintomas e síndromes originários do envenenamento originados por toxinas lançadas por Chemtrails, eis, por outro lado, alguns dos diferentes aspetos e sintomas que podem ser ocasionados por excesso de íons positivos, resultantes dessas toxinas:

1. Artrite, mãos, pés, joelhos, pescoço – estes sintomas podem ir e vir.
2. Diversas doenças comuns.
3. Pressão arterial elevada.
4. Cancro.
5. A tuberculose pulmonar, asma, sinusite, enfisema pulmonar, pneumonia, doenças respiratórias
6. Neurite periférica. Doenças do sistema nervoso periférico.
7. Sintomas de stresse.
8. Os íons negativos podem ajudar a matar as bactérias e vírus. Os íons positivos incentivam os mesmos.
9. Instabilidade mental, psicose, mania, a raiva, o pensamento nublado.
10. Laringite.
11. Tosse seca..
12. Alergias / febre do feno.
13. Depressão, pensamentos suicidas, psicose, manias.
14. Náuseas, mal-estar geral.
15. Explosões de raiva na condução, agressividade em geral, disparar armas de fogo por raiva.

As energias nefastas

Sabe-se também que, por tradição, certos povos tais como os índios americanos tinham como ritual antigo purificar o ambiente e pessoas através da queima de incensos ou defumações com plantas tais como a Salva, o Cedro, Zimbro, ou o Feno-de-cheiro, entre outros. Um ancião da Nação Apache quis verificar esta técnica de purificação em laboratório com a ajuda de cientistas e descobriu-se que o fumo das ervas tinham o potencial de agarrar o ião positivo – uma carga elétrica na molécula do ar e, de a anular ou de a levar para o exterior dum espaço, devendo para o efeito permanecer uma brecha do aposento aberto. Compreende-se por aqui que certos incensos e defumações de qualidade anulam os íons positivos através de íons negativos, ficando provado que queimar certas plantas caçam os íons indesejáveis, os – considerados pela crendice – de “maus espíritos”. As energias de natureza pesada, nefastas, maléficas ou nocivas têm necessidade de um veículo para as transportarem. Este veículo é o ião positivo que encontramos na molécula do ar…

Segundo certas crenças antigas, estas energias de natureza nefasta atraiam maus pensamentos, desgraças e malefícios… Algo que não me parece estar assim tão longe da verdade atual… Na realidade, encontramos o índice de certas doenças a aumentar, bem como o de suicídios entre a população. Também o de mortes mais rápidas em pessoas mais idosas ou frágeis… e na realidade, nenhum destes acontecimentos tem a ver só com a crise económica, embora tal pareça…

Em certas zonas do planeta nota-se bem que houve um aumento da agressividade, da calamidade e da guerra…

É claro que somos seres empáticos e, pela lei da atração, atraímos também os acontecimentos semelhantes daquilo que pensamos e acreditamos. Tal como os íons, naquilo que concentramos a nossa mente – medos, frustrações, letargia, desânimo, raivas, tristezas, etc. – são também produtos mentais humanos (químicos) que atraem desgraças e malefícios para a vida de quem alimenta tão negativas emoções e não só… A outra realidade é que nós somos produto daquilo que comemos, pensamos, respiramos e fazemos (ou não fazemos). Ou seja, somos também um computador químico, composto por cerca de 70% de água, que tem um efeito transmissor e empático em muitas vertentes… algo desconhecidas ainda.

Já agora, à parte de toda esta questão – com tanta poluição a ser lançada diariamente, não me parece que seja suficiente só o método de ritual antigo de defumação de plantas, para limpar todo o nosso planeta e a nós próprios. O que é que acha?…

Aconselhava a desintoxicar-se e a alimentar-se mais corretamente, a fazer algum exercício físico regularmente, a apanhar o máximo de ar puro na natureza de vez em quando, a não entrar em níveis de stress elevados (pois o corpo já está stressado de tanta poluição), a cuidar do corpo e da mente. Tenha cuidado com químicos laboratoriais (produtos de higiene e limpeza, medicamentos), aditivos nos alimentos. Não coma alimentos geneticamente modificados (OGMs). Informe-se sobre a alimentação adequada consoante o seu grupo sanguíneo, segundo o Dr. Peter J. Adamo, mas tenha em atenção que a alimentação animal em geral tem OGMs, produtos farmacêuticos e aditivos.  Prefira peixe de alto mar a carne. Evite o mais possível fontes de radiação eletromagnética (não estar com telemóveis ligados junto ao corpo nem dormir com eles no quarto, substituir wireless por cabos em casa, substituir telefones sem fios por aqueles que têm fios, etc.). Informe-se sobre a Geopatia e outras fontes de radiação e campos eletromagnéticos negativos. Ouça os sinais do corpo – este é o momento para parar e cuidar de si.

Se possível adquira aparelhos ionizadores e purificadores para interiores de espaços, bem como orgonites (para equilibrar as frequências ELF do seu meio ambiente interior e exterior).

Se for um daqueles casos em que sofra dum sintoma sem nenhuma causa física, algum bloqueio ou conflito psicológico, ou mesmo tenha uma doença que acredita poder ser tratada para além da medicina alopática, experimente as terapias naturais, nomeadamente a Terapia Regressiva de Memória, para ir à causa do seu problema e resolvê-lo. O seu corpo sabe tudo sobre si próprio e tem capacidades regenerativas inconscientes. Basta ir à origem e tratar.

Em relação às fontes de poluição (tal como os Chemtrails, fontes de radiação com antenas de telemóveis, HAARP, etc.) seja unido nos grupos contra estes meios poluentes e seja ativo: informe os outros, inscreva-se em tudo que seja possível nas iniciativas de grupo, pesquise e informe-se, participe, mesmo que em blogues internacionais sobre esta matéria. Contacte os meios de informação (rádios, jornais, etc.). Caso conheça alguém nos meios de comunicação disponível, mas não se sinta à vontade para falar sobre esta matéria em público, não se preocupe. Há quem o faça por si – bastará falar comigo, por exemplo. Faça o que lhe for possível para informar mais pessoas… mas sem stress.

fonte: http://despertar.eterhum.com/as-cargas-electrmagneticas.shtml 
Anúncios