Posts Tagged ‘antioxidantes’

Resumo Capítulo 1 (parte 2), livro “Revolução Antioxidante” do Dr.Kenneth Copper

Segue abaixo um trecho retirado do livro: “Revolução Antioxidante“, Capítulo 1 (parte 2):

REVOLUÇÃO ANTIOXIDANTE

Capítulo 1

”Você não consegue vê-los. Nem senti-los. Eles deixam apenas vestígios fugazes de sua presença. Mas não se engane: Seu coração, seus pulmões, seus vasos sanguíneos, todos os seus órgãos e tecidos estão sob ataque constante de uma grande variedade de renegados biológicos. Mesmo enquanto você segura este livro em suas mãos, nenhuma parte de seu organismo se encontra protegida dos ataques destruidores destes bandidos moleculares, conhecidos como radicais livres.

(…) As últimas pesquisas demonstram claramente que estes inimigos letais para sua saúde e sua vida possuem íntimas relações com os seguintes problemas:

  • Cardiopatias e Vasculopatias: (…) os radicais livres são os verdadeiros culpados pela deterioração da LDL (conhecida como colesterol ruim, pois está associada à formação de placas nas artérias). Enquanto a LDL não se deteriora ou se modifica, aparentemente não é nociva.(…)
  • Câncer: Os radicais estão implicados em cânceres do pulmão, cérvix, pele, estômago, próstata, cólon e esôfago.
  • Cataratas: Turvação ou perda da transparência do cristalino podem ser consequências dos radicais livres.
  • Envelhecimento: A destruição e o enfraquecimento da pele e a deterioração orgânica, associados ao processo de envelhecimento, são agravados pelos radicais livres.(…)

A menção de outras doenças que as pesquisas médicas associaram à atuação insidiosa dos radicais livres no seu organismo se assemelharia ao índice de uma enciclopédia de medicina. Entre elas estão mais de 50 doenças como acidentes vasculares cerebrais, asma, pancreatite, inflamações intestinais, como diverticulite, colite ulcerativa, úlcera péptica, insuficiência cardíaca congestiva crônica, doença de Parkinson, anemia falciforme, artrite reumatóide, hemorragia cerebral e hipertensão arterial.

O que são exatamente os Radicais Livres? E como eles atuam?

(…) O movimento e o aspecto dessas moléculas são voláteis e imprevisíveis em contraste com as outras moléculas, pois em suas órbitas externas elas possuem um ou mais elétrons ímpares. Esta deficiência em suas estruturas faz com que elas busquem outras moléculas para se combinar.

(…) Os cientistas chamaram estas moléculas instáveis de oxigênio de radicais livres.

(…) O oxigênio estável é absolutamente essencial para manter a vida. Também deve ser mencionado que algumas moléculas instáveis de oxigênio (radicais livres) são benéficas, pois permitem o combate à inflamação, destroem bactérias e controlam o tônus dos músculos lisos, que regulam o funcionamento dos órgãos internos e vasos sanguíneos.

A chave para uma atuação eficaz e segura dos radicais livres no seu corpo é o equilíbrio; o problema, porém, é que os mecanismos delicadamente ajustados com frequência se atrapalham. Para corrifir a situação, o seu corpo produz radicais livres que atuam como lixeiros, conhecidos como antioxidantes endógenos, os quais engolem os radicais livres em excesso, impedindo que eles prejudiquem o organismo.

Alguns antioxidantes ingeridos através da dieta ajudam a fortalecer nossas defesas contra o excesso de radicais livres. Os antioxidantes externos (ou exógenos) mais importantes são a vitamina C, a vitamina E e o betacaroteno.

Infelizmente, nem sempre os sistemas de proteção interno e externo são adequados. O problema é que podem ser produzidos muitos radicais livres por fatores como poluição do ar, fumaça de cigarros, luz ultravioleta do sol, pesticidas e outros contaminantes nos alimentos, e até mesmo exercícios em excesso.

(…) Quando o organismo é sobrepujado pelo excesso de radicais livres, aqueles moléculas instáveis de oxigênio se transformam, de aliados, em predadores moleculares. Elas passam a atacar com sucesso partes saudáveis e partes doentes do organismo. Como consequência, surgem doenças do coração, vários tipos de câncer, e muitas outras doenças. (…)”

Retirado do livro: “Revolução Antioxidante”, 2005 – Editora Record, de Kenneth H. Cooper [Comprar o livro]

Anúncios

Resumo Capítulo 1 (parte 1), livro “Revolução Antioxidante” do Dr.Kenneth Copper

Segue abaixo um trecho retirado do livro: “Revolução Antioxidante“, Capítulo 1 (parte 1):

REVOLUÇÃO ANTIOXIDANTE

Capítulo 1

“Este caso me perturbou profundamente.

Werner Tersago já tinha mais de 40 anos, há mais de dez comparecia em meu consultório para exames de rotina, e sempre me dera a impressão de ser um de meus pacientes mais saudáveis e bem dispostos. No teste de resistência, ele normalmente estava classificado na categoria superior.  De fato, o seu desempenho neste exame era tão bom quanto o de excelentes atletas 20 anos mais jovens, um resultado que refletia o seu treinamento para maratonas e os quase 80 quilômetros que ele corria regularmente por semana.

(…) Os exames de sangue de Werner, incluindo os níveis de colesterol, estavam normais – provavelmente como resultado de sua dieta disciplinada rica em fibras e com pouca gordura. Sua pressão arterial também se encontrava dentro do limites normais.

(…) Então aconteceu – uma séria de dores de cabeça que culminaram um ano mais tarde em cefaléia intensa com perda do equilíbrio enquanto ele esquiava. A dor persistiu, levando-o a marcar alguns exames clínicos para descobrir o que havia de errado. Os exames diagnósticos revelaram um tumor cerebral, que de início parecia inoperável. (…) Werner parou de correr, mas reaprendeu a caminhar e continuou com os seus exercícios até algumas semanas antes de morrer.

(…) Pelo exposto, Werner não apresentava nenhum dos fatores de risco geralmente associados a um tumor cerebral maligno. Sua alimentação era exemplar, e não havia uma história de tumores cerebrais em membros de sua família.

(…) Várias tragédias semelhantes, envolvendo maratonistas e ultramaratonistas com diagnóstico de câncer em idades aparentemente precoces, também chamaram minha atenção. Continuei a indagar se havia uma correlação entre o excesso de corridas e o câncer.

(…) As respostas para estas estão surgindo na experiência de pessoas como Ruth Heidrich, uma corredora competitiva altamente condicionada que parecia gozar de uma excelente saúde até apresentar câncer de mama. Ela precisou submeter-se a uma mastectomia radical, pois o câncer havia se disseminado pela sua mama e possivelmente para os seus ossos e o pulmão esquerdo. (…) Mesmo sabendo que lhe restavam menos de dois anos de vida, ela decidiu que isto ocorreria no auge de sua energia e aptidão. Ela aumentou o número de quilômetros percorridos e acrescentou natação e ciclismo ao seu programa em preparo para o Triatlo (Ironman) Havaiano. O mais importante, contudo, foi que ela se tornou vegetariana, embora já houvesse substituído sua alimentação por uma dieta com pouco gordura, peixes e aves. A nova dieta vegetariana colocava ênfase no brócolis, cenoura, arroz integral e outros alimentos que lhe forneceriam doses maciças de antioxidantes como a vitamina C, vitamina E e betacaroteno.

Oito anos mais tarde, Ruth havia completado seis Triatlos Ironman, mais quarenta maratonas, e competia quase toda semana em corridas de meia distância. Atualmente, doze anos após a cirurgia, ela ainda se encontra com boa saúde, realizando exercícios e competindo em evento esportivos, totalmente livre do câncer.

A experiência de Ruth suscita duas perguntas:

  1. Seria o câncer uma consequência do seu programa de exercícios incial muito exigente e da ingestão de alimentos de origem animal?
  2. Houve influência das modificações alimentares e do aumento dos antioxidantes na regressão do crescimento do câncer?

À medida que você ler este livro, descobrirá que a resposta para estas duas perguntas, baseada em sólidas evidências científicas, é um ressonante SIM. Além disso, um número crescente de médicos atualizados com os últimos avanços estão se posicionando junto a pacientes como Ruth na defesa de antioxidantes, seja através do uso de suplementos ou de uma dieta restrita, para o combate ao câncer. E não apenas isto: estes médicos, entre os quais me incluo, estão aumentando a sua ingestão de antioxidantes. (…)”

Retirado do livro: “Revolução Antioxidante”, 2005 – Editora Record, de Kenneth H. Cooper [Comprar o livro]

Resumo Prefácio, livro “Revolução Antioxidante” do Dr.Kenneth Copper

Segue abaixo um trecho retirado do livro: “Revolução Antioxidante“, Prefácio:

REVOLUÇÃO ANTIOXIDANTE

Prefácio

“Atualmente, é difícil folhear um periódico médico, ler uma revista, abrir um jornal, ou mesmo assistir a um comercial na televisão sem encontrar referências aos antioxidantes ou radicais livres.

(…) Os radicais livres – ou moléculas instáveis de oxigênio, também conhecidas como a espécie de oxigênio reativo – estão agora implicados em mais de 50 problemas médicos, incluindo vários tipos de câncer, cardiopatia, envelhecimento precoce, cataratas, e até mesmo AIDS. O relacionamento com uma variedade tão grande de doenças sugere que os radicais livres não representam fenômenos periféricos isolados, sendo na realidade os protagonistas da maioria dos problemas de saúde no ser humano.

(…) Embora a possível relação entre os danos causados pelos radicais livres e as várias doenças seja postulada há muitos anos, só recentemente as pesquisas e a disponibilidade de tecnologia científica moderna permitiram conclusões mais definidas. Aprendemos que uma variedade de fatores, como a luz ultravioleta, a poluição do ar, os cigarros e até mesmo os exercícios exaustivos (do tipo ultra) podem produzir muitos radicais livres em nosso corpo.

(…) De fato, à medida que as pesquisas se ampliaram, ficou claro que a prescrição de exercícios apropriados se complica – especialmente quando se considera a exposição a gatilhos de radicais livres como o treinamento exagerado. Sobre este assunto, iremos discutir dois tópicos importantes:

o valor supreendente da atividade física de baixa intensidade na produção de benefícios sobre a saúde e a longevidade

a necessidade de um tratamento com vitaminas antioxidantes para combater os efeitos potencialmente nocivos do excesso de radicais livres causado pelo excesso de atividade física

Talvez o tópico mais interessante, e certamente o mais controverso neste livro, seja a noção de que exercícios em demasia – também denominados exercícios extenuantes – possam na realidade aumentar o risco de problemas médicos. (…) Além disso, não estou desencorajando a atividade física no indivíduo apto, que está atento aos sinais do seu organismo. Porém, recomendo fortemente o uso regular de antioxidantes, independentemente do grau de atividade física. (…) Mas existem evidências concretas indicando que os antioxidantes podem prevenir ou retardar o surgimento de muitas doenças, como o câncer e as cardiopatias.

(…) Finalmente, com o seu ingresso na aventura da Revolução Antioxidante, desejo-lhe boa sorte – e quero lembrar-lhe que o caminho para a aptidão é uma jornada, e não uma simples chegada. Por isso, após dar início ao programa, não espere que algum dia chegue lá ou finalmente consiga. Em vez disso, decida-se a permanecer nesse caminho para a saúde pelo resto de sua vida.

Retirado do livro: “Revolução Antioxidante”, 2005 – Editora Record, de Kenneth H. Cooper [Comprar o livro]

Resumo cap 15, livro “Nutrição Cerebral” de Helion Povoa

Segue abaixo um trecho retirado do livro: “Nutrição Cerebral“, capítulo 15 (Preparando o Terreno da Felicidade):

NUTRICAO CEREBRAL

“Uma pesquisa realizada há poucos anos na cidade de Los Angeles, EUA, constatou que nove entre dez bebês vinham sendo abortados ainda na fase ovular, nos primeiros dias da gravidez. Como o aborto espontâneo de óvulos defeituoso é uma estratégia natural de proteção das espécies, esse dado aponta para um comprometimento precoce do material genético dessas mulheres, representantes bem significativas da sociedade moderna. (…)

Um dos maiores desafios da gestação é otimizar da melhor forma o ácido fólico e a vitamina B12 no organismo da mãe e do bebê. (…)

As mulheres que engravidam, e aquelas que pretendem engravidar, devem ter atenção especial com os nutrientes porque a falta deles pode determinar danos irreversíveis. Sem as vitaminas, minerais, aminoácidos e gorduras certas, as mulheres se tornam candidatas a distúrbios sérios que podem comprometer sua saúde e a saúde de seus bebês. (…)

O magnésio é outro mineral que merece atenção durante a gravidez, já que a hipertensão e, consequentemente, a eclâmpsia podem ter como causa sua falta no organismo. O magnésio é um mineral importantíssimo para o controle da pressão arterial e em muitos casos sua carência é causada pela ingestão exagerada de açúcares. (…) O fato é que uma gravidez tranquila, do início ao fim, depende essencialmente da quantidade e da qualidade dos nutrientes ingeridos pelas gestantes. (…) Por isso é de grande interesse para as mulheres grávidas ou que querem engravidar o trabalho do pesquisador David Heber, diretor do Centro para Nutrição Humana da Universidade da Califórnia. Com o intuito de relacionar as doenças modernas com dietas equivocadas, ele fez um levantamento dos maiores mitos alimentares, alguns particularmente interessantes para as gestantes. (…)

Algumas mulheres grávidas substituem o açúcar refinado pelo aspartame, sem saber que tal troca consiste em um risco para seus bebês. (…)

E como vivemos uma época de obsessão pela magreza, todas as gestantes devem saber ainda que é muito mais importante escolher alimentos pelos seus nutrientes do que pelo número de calorias. (…)

A questão das gorduras também acabou se transformando em um mito alimentar muito grande durante a gravidez. Entretanto, em nenhuma outra fase da vida as gorduras de boa qualidade são tão importantes para a mulher, já que a boa formação dos bebês depende dos ácidos graxos essenciais, como o ômega 3. Não podemos esquecer nunca que o cérebro humano é formado em sua maior parte por essas gorduras (…)

Não existe um bom colesterol e um mal colesterol. (…) O que se convencionou chamar de colesterol ruim, o LDL, é na verdade um tipo de colesterol que passaremos a chamar de colesterol nativo, que sofreu a ação dos radicais livres.

O LDL nativo possui em sua estrutura uma capa protetora rica em antioxidantes, como o licopeno e vitaminas, principalmente vitamina E, e plasmalógenos. Sob a ação dos radicais livres, o colesterol nativo perde essa capa protetora e fica flutuando nos vasos sanguineos. Os macrófagos (células do sistema imunológico) percebem essa anomalia e engolem o colesterol, como fazem com todas as substâncias que não reconhecem. Envenenados com as substâncias oxidadas, os macrófagos estufam, se transformam em células espumosas e morrem, formando as placas que entopem as artérias. (…)

É evidente que taxas muito elevadas de colesterol são preocupantes, mas, na grande maioria dos casos, taxas acima da média podem ser normalizadas com a adoção de uma dieta antioxidante. (…)

A verdade é que uma alimentação antioxidante é fundamental durante a gravidez, para suprir a mulher e o bebê de todos os nutrientes de que precisam. (…)

Já se sabe agora que a nutrição é capaz de modular sistemas genéticos, o que vai contra o fatalismo da genética. Esses estudos reforçam a importância dos nutrientes para a formação neurológica do bebê durante a gestação e certamente permitirão, no futuro, avaliar o impacto da nutrição sobre a questão genética, o que é revolucionário. (…)

Se um homem está malnutrido, não haverá boa seleção de espermatozóides para a fecundação. (…)

Quem não tem alergias alimentares e está com o intestino em boas condições certamente conta com boa saúde para gerar uma nova vida. (…)

Finalmente, é muito comum que a gestante apresente anemia, para a qual os suplementos de ferro são imediatamente recomendados. Entretanto, dentro do enfoque ortossistêmico, o mais correto nesses casos é dosar a ferritina, proteína na qual são depositadas as reservas de ferro do organismo. Muitas vezes alguns obstetras se precipitam e não distinguem qual tipo de anemia que a gestante apresenta. Quando a anemia é causada por falta de B12 e ácido fólico, e recomenda-se ferro para a mulher, há risco sério de intoxicação por esse metal, o que leva a uma alta produção de radical hidroxila. (…)

Por isso é muito perigoso administrar ferro nos casos de anemia sem dosar a ferritina, já que a falta do mineral pode estar sendo causada por outros fatores.”

Retirado do livro: “Nutrição Cerebral”, 2005 – Editora Objetiva, de Helion Póvoa [Comprar o livro]

Resumo cap 12, livro “Nutrição Cerebral” de Helion Povoa

Segue abaixo um trecho retirado do livro: “Nutrição Cerebral“, capítulo 12 (Os Smart Nutrients):

NUTRICAO CEREBRAL

“(…) Os Smart Nutrients são vitaminas, minerais, aminoácidos e gorduras que vêm apresentando uma ação positiva sobre todos os códigos de funcionamento do cérebro. (…)

O maior diferencial dos smart nutrients é o poder de melhorar especialmente a nutrição do córtex frontal, a região do cérebro mais sensível aos nutrientes e mais vulnerável à ação dos agentes poluentes, de qualquer ordem. Alguns smart nutrients também atuam destruindo os radicais livres, que degeneram o cérebro, e aumentando a produção de seus antioxidantes naturais. (…)

Atualmente, a lista de smart nutrients é muito grande e a todo momento uma nova pesquisa científica nos revela o valor de mais uma substância para otimizar as funções do cérebro. (…)

Vitamina D

(…) Acredita-se que a ação benéfica da vitamina D para a produção de NGF se dê pelo aumento que ela promove na síntese de proteínas que fixam o cálcio no interior das células. (…)

Vitamina E

(…) Tem papel protetor dos neurônios, que exerce fixando-se nas membranas das células, ricas em fosfolipídeos. Como é solúvel em gorduras (liposolúvel), a vitamina E impede as lesões do cérebro, composto de gorduras em sua maior parte. (…)

Tem também efeito protetor sobre o sistema imunológico e combate a oxidação do colesterol LDL.

Vitaminas do Complexo B

Estão envolvidas nos processos mitocondriais, daí terem uma importância imensa para o sistema nervoso. A vitamina B1 (tiamina) é essencial para a transformação de glicose em energia (…)

A vitamina B2 (riboflavina) é importantíssima para a memória, o humor e a aquisição de conhecimentos, pois regenera o glutatião, um dos maiores protetores celulares contra a ação dos radicais livres. (…)

A vitamina B3 (niacina) participa da manutenção de substâncias químicas nervosas e hormônios que regulam a memória e o pensamento. (…) Já a vitamina B6 (piridoxina) é muito importante para a formação de neurotransmissores (…).

Atuando sinergicamente, as vitaminas B12 e o ácido fólico vêm sendo muito utilizados no tratamento dos processos neurodegenerativos, pois ambos participam da síntese do DNA mitocondrial (…). Eles também participam da formação da bainha de mielina, que circunda os neurônios e acelera a condução dos sinais nervosos. (…)

Vitamina C

(…) Hoje, a vitamina C também está incluída no rol dos smart nutrients, pois, além de ser um dos mais poderosos antioxidantes que existem, tem o extraordinário poder de intensificar a ação antioxidante de diversos outros nutrientes. (…)

Cromo e Vanádio

Esses oligoelementos, que atuam de forma sinérgica no organismo, têm uma importância enorme no aproveitamento do principal combustível do cérebro, a glicose, pois são fundamentais para o bom funcionamento dos receptores da insulina. (…)

Selênio

É um oligoelemento que tem sido bastante utilizado como smart nutrient, pois é talvez o de maior poder contra os efeitos nocivos dos radicais livres. (…)o selênio ajuda a remover os minerais tóxicos que provocam problemas cerebrais como mercúrio, chumbo, bismuto, níquel e cádmio. O mineral tem ainda um papel protetor sobre a parede vascular, protegendo o cérebro de AVC (acidente vascular cerebral).

Lítio

É um mineral que estimula o prazer e o amor e inibe os receptores do circuito da dor. (…)

Zinco

Faz parte de uma enzima importantíssima no organismo que atua como um antioxidante primário, a SOD (superóxido dismutase). (…) Um indivíduo estressado tem formação deficiente de ácido clorídrico e por isso não consegue assimilar muito bem o zinco de sua alimentação. (…) Outra característica importante do zinco é sua ação protetora contra intoxicações por minerais tóxicos como o chumbo, o mercúrio e o cobre.

Cálcio e Magnésio

Ambos são minerais importantíssimos para os processos cerebrais. O cálcio participa da formação do óxido nítrico, um gás fundamental no organismo que possui ação vasodilatadora e beneficia a formação da memória. (…) Hoje reconhece-se muito a importância do cálcio, mas não se dá a mesma importância ao magnésio, que funciona como um bloqueador fisiológico do cálcio e evita que seu excesso provoque perigosas calcificações nas artérias e nos rins.

Ácidos Graxos Tipo Ômega 3

É uma gordura que possui enorme relevância fisiológica. No que se refere ao cérebro, o ômega 3 é excelente para a memória e aumenta os receptores de serotonina, dopamina e noradrenalina. Admite-se agora que, nas células, o ômega 3 fica localizados nos plasmalógenos, potentes antioxidantes encontrados principalmente nas membranas celulares dos neurônios, protegendo o cérebro e o sistema nervoso central dos radicais livres. (…)

Melatonina

É certamente o mais potente antioxidante endógeno que temos, pois faz uma verdadeira faxina de radicais livres no organismo durante a noite, sob o efeito da escuridão, em especial durante o sono REM (rapid eye moviment). (…)

Soja

Contém várias substâncias com valor nutricional e nutracêutico de relevância. A isoflavona e alguns de seus derivados (…) são exemplos. Estas substâncias são poderosos antioxidantes e possuem valor fitoestrogênico. Atribui-se ao estrogênio a função de reduzir a produção de placas amilóides no cérebro e auxiliar na preservação da memória, duas condições associadas à doença de Alzheimer.

A isoflavona tem atividade cerebral e inibe o progresso da aterosclerose e outras doenças neurodegenerativas (…).”

Retirado do livro: “Nutrição Cerebral”, 2005 – Editora Objetiva, de Helion Póvoa [Comprar o livro]

Resumo capítulo 9, livro “Nutrição Cerebral” de Helion Povoa

Segue abaixo um trecho retirado do livro: “Nutrição Cerebral“, capítulo 9 (A Energia do Cérebro):

NUTRICAO CEREBRAL

“(…) Mas não é simples entender de que forma o estresse oxidativo pode provocar alterações estruturais no cérebro. Para isso, é preciso que aprofundemos o conhecimento a respeito dos mecanismos de formação da energia cerebral, que são complexos.

Nosso cérebro conta com cerca de 100 bilhões de neurônios. Cada um deles pode formar até 10 mil dentritos (…) onde são feitas as ligações com os outros neurônios. Os neurônios processam simultaneamente um número imenso de conexões e por isso o cérebro é o órgão de maior gasto energético de todo organismo. Embora tenha apenas de 2 a 3% do peso do corpo, o cérebro consome 20% do oxigênio que circula por ele.

Os neurônios trabalham muito mais do que imaginamos. Além de sustentarem um número incalculável de proteínas. (…)

Para o cérebro, o alimento de excelência é a glicose. Mas, para chegar aos neurônios, a glicose deve passar primeiro pela barreira hematoliquórica, que conecta o sangue com o liquor, que banha o cérebro. Esta barreira, quando saudável, impede a penetração de substâncias nocivas para o ambiente cerebral. (…)

Em células saudáveis, as mitocôndrias produzem, além da água e do ATP, uma quantidade pequena de radicais livres. Mas quando há muitos corticóides no cérebro, que é o que acontece no estresse oxidativo, esses hormônios bloqueiam a entrada de glicose nos neurônios, que ficam sem matéria-prima para produzir ATP. Acontece então uma perigosa inversão: as mitocôndrias passam a produzir menos ATP e radicais livres em excesso. Sem ATP, o cérebro diminui sua produção de proteínas. (…)

É o que dá início à degeneração de seus circuitos.

Embora esse mecanismo nos pareça aterrorizante, ele é real. Segundo o pesquisador Bruce Ames, da Universidade da Califórnia, o ser humano pode sofrer atualmente até 10 mil lesões em seu material genético por dia, o que provoca as mutações celulares que produzem toda forma de doenças, inclusive mentais. (…)

(…) o organismo humano conta com meios próprios de conter o processo de destruição dos mecanismos de proteção dos genes a partir de proteínas regeneradoras. Estas atuam principalmente durante o sono delta, o sono mais profundo, e quando há boa nutrição no organismo. Por isso é tão importante uma alimentação antioxidante, que ofereça resistência à ação dos radicais livres (…)

Entre as conseqüências da falta de nutrientes, é de grande importância a neuroglicopenia, um distúrbio sério que também afeta a mente. A neuroglicopenia começa com a deficiência de cromo e vanádio, dois minerais essenciais para ativar a sensibilidade dos receptores de insulina, que estimulam os genes a fabricar as proteínas que transportam a glicose até as mitocôndrias. (…)

Quando acontece a neuroglicopenia, ainda que haja glicose suficiente no sangue, não há como transportá-la do sangue para dentro do cérebro, para que seja transformada em energia. E sem energia não há como fabricar toda a gama de proteínas que o cérebro necessita para funcionar. Começa a faltar concentração, a memória passa a falhar e depressão vai se aproximando.

O cérebro, carente de glicose, começa então a enviar mensagens para o hipotálamo, pedindo mais combustível. Mas quanto mais o organismo se enche de carboidratos, mais aumenta a insulina no sangue e menos sensíveis ficam os seus receptores. Além disso, quando se ingere açúcar refinado em excesso, a sensibilidade dos receptores de insulina diminui ainda mais. Este tipo de açúcar é rico em substâncias que depletam o cromo e o vanádio, essenciais para ativar a sensibilidade desses receptores. (…)

Reconhece-se agora que o hiperinsulinismo pode causar não apenas a diabetes tipo 2, mas também obesidade, hipertensão e ainda depressão, todos incluídos na chamada síndrome metabólica. Trata-se de um problema que avança com rapidez impressionante no mundo ocidental e que nos ajuda a compreender a importância que os nutrientes possuem para o bom funcionamento do nosso cérebro.”

Retirado do livro: “Nutrição Cerebral”, 2005 – Editora Objetiva, de Helion Póvoa [Comprar o livro]

Resumo capítulo 5, livro “O que seu Médico não sabe sobre Medicina Nutricional…”

Segue abaixo um trecho retirado do livro: “O que o seu Médico não sabe sobre Medicina Nutricional pode estar Matando Você”, capítulo CINCO (Doenças do Coração: Uma Moléstia Inflamatória):

O QUE SEU MEDICO NAO SABE SOBRE MEDICINA“(…) as doenças do coração são a causa de morte número um nos Estados Unidos. Como eu outrora, você provavelmente aceita o que tais estatísticas e grande parte da mídia sugerem: o colesterol é a causa das doenças do coração.

Nesse caso, talvez você se impressione, como eu me impressionei, ao decobrir que não é o colesterol o culpado pelas doenças do coração, e sim a inflamação dos vasos sanguineos. Minhas pesquisas revelaram que mais da metade dos pacientes de ataques cardíacos nos Estados Unidos tem níveis normais de colesterol! E adivinhe o que descobri que reduz significativamente ou elimina por completo as inflamações dos vasos sanguineos. Exatamente: os suplementos nutricionais. (…)

E Quanto ao Colesterol?

(…) O colesterol LDL na verdade não é “maligno”. Deus não cometeu um erro quando o criou. O colesterol natural LDL, o tipo que o corpo produz originalmente, é benigno. Na verdade, ele é essencial para formar membranas celulares, outras partes das células e muitos hormônios diferentes de que nosso corpo precisa. Não poderíamos viver sem ele. Na verdade, se não o obtivermos a partir de nossa dieta em quantidades suficientes, nosso corpo o produzirá.

Os problemas só começam quando os radicais livres alteram ou oxidam o colesterol LDL natural. Esse colesterol LDL modificado, sim, é “maligno”. Em uma edição de 1989 do New England Journal of Medicine, o Dr.Daniel Steinberg postulou que se os pacientes portarem antioxidantes adequados para aplacar a oxidação, o colesterol LDL não se tornará maligno. (…)

Estudos feitos em animais durante esta época também apoiavam a teoria do Dr.Steinberg. Os antioxidantes e seus nutrientes de apoio se tornaram a nova esperança na guerra contra nossa matadora número um: as doenças do coração.

A Natureza da Resposta Inflamatória

O colesterol LDL não é o único instigador por trás da inflamação dos vasos sanguineos. Outras causas principais incluem algo chamado de homocisteína e os radicais livres que o fumo, a hipertensão, os alimentos gordurosos e o diabetes causam.

A inflamação que ocorre em nossas artérias é muito similar às reações inflamatórias vistas em outras partes do corpo. (…)

A Verdadeira Prevenção: O Que Dizem as Pesquisas

A boa notícia é que os antioxidantes e seus nutrientes de apoio podem eliminar ou, ao menos, reduzir significativamente todas as causas de inflamação das artérias. Centenas de estudos clínicos sobre as doenças cardíacas constatam benefícios significativos à saúde pelo uso de suplementos nutricionais. (…)

Medicina Nutricional: A Verdadeira Prevenção

Os pesquisadores estão descobrindo que a causa original das doenças do coração é a inflamação resultante do estresse oxidativo. (…) Mas tanto médicos como pesquisadores têm a tendência de tratar os nutrientes básicos como se fossem drogas; ou seja, eles testam a reação do corpo a um nutriente por vez, para conhecerem seu potencial exato. (…) Nestas avaliações isoladas, em não se detectando nenhum benefício significativo à saúde, médicos e pesquisadores hesitam em recomendar aquele nutriente em particular. É isso que gera a polêmica que se vê na mídia e na literatura médica. (…) Mas estão ignorando os importantíssimos efeitos sinérgicos da medicina nutricional. (…)

(…) Para deter o estresse oxidativo, o corpo necessita de antioxidantes em quantidade suficiente para dar conta de todos os radicais livres, e os antioxidantes necessitam de todos os nutrientes de apoio para bem cumprirem sua função. Esses ingredientes atuam em sinergia, na busca pela meta final de derrotar o estresse oxidativo. (…)

Mais uma vez, esses nutrientes funcionam todos juntos para eliminar ou reduzir a inflamação das artérias. O efeito sinérgico de sua suplementação é a chave de tudo. Por isso a nutrição celular é tão fundamental para nossa saúde. (…)”

Retirado do livro: O que o seu Médico não sabe sobre Medicina Nutricional pode estar Matando Você”, 2004 – Editora M.Books, de Ray D. Strand, M.D. [Comprar o livro]