Resumo Capítulo 1 (parte 1/2), livro “Vitamina D” do Dr.Michael Holick

Segue abaixo um trecho retirado do livro: “Vitamina D – Como um tratamento tão simples pode reverter doenças tão importantes“, Capítulo 1 (parte 1/2):

VITAMINA D

Capítulo 1 – O que é a Vitamina D?

”(…) O sol é tão vital para a nossa saúde e bem-estar quanto os alimentos, o abrigo, a água e o oxigênio. (…) Qual o papel da vitamina D no envelhecimento e na doença?

Muito maior do que podemos imaginar.

Quando afirmo que a deficiência de vitamina D é o desafio mais comum para a saúde em todo o mundo, a resposta que ouço nos países mais ricos e desenvolvidos é quase sempre a mesma: “Bem, isso não pode acontecer comigo ou com qualquer outro no meu país. Nós temos o melhor sistema de saúde.” Quando lembro às pessoas que o melhor modo de assegurar níveis saudáveis de vitamina D é com a exposição moderada ao sol, de duas a três vezes por semana, a resposta sempre contém uma ameaça velada, que é mais ou menos assim: “Você só pode estar brincando! O sol é o vilão do câncer e do envelhecimento precoce. Nem pensar! Eu nunca vou considerar luz solar como remédio. Nem pensar!”

Os números que provam o contrário são altos e gritantes e, ao longo deste livro, serão divulgados.

(…) só recentemente começamos a entender quão importante é a vitamina D para a manutenção da saúde de cada um dos sistemas e células dessa máquina sofisticada que é o nosso corpo. A vitamina D pode ser tão vital para a saúde do coração e do cérebro quanto é para a saúde dos ossos. (…) pode prevenir ou ajudar no tratamento de um número infindável de patologias, desde a pressão alta até a dor lombar, do diabetes até a artrite, das infecções das vias respiratórias superiores até as doenças infecciosas, e da fibromialgia até o câncer. Além disso, a vitamina D parece melhorar a fertilidade, ajudar no controle do peso corporal e auxiliar a memória.

(…) Nos últimos cinco anos houve uma reviravolta no entendimento dos diversos benefícios para a saúde que resultam da exposição ao sol. Essa mudança forçou uma reavaliação do valor da exposição ao sol. Tenho orgulho de dizer que estive à frente dessas ações.

(…) No início do século 20, os cientistas determinaram que a radiação ultravioleta na luz do sol era o que estimulava a produção de vitamina D pelo corpo humano. (…) Com base nos achados de que a vitamina D gerada pela exposição ao sol melhorava a saúde óssea, as indústrias de leite e derivados da Europa e dos Estados Unidos começaram a enriquecer o leite com a vitamina D. Foi iniciada uma corrida maluca, e os fabricantes enriqueceram exaustivamente produtos alimentícios e bebidas com a vitamina D. Produtos como o pão branco de forma, a salsicha para cachorro-quente, refrigerantes e até mesmo a cerveja eram vendidos com promessa de suprimento de vitamina D. (…) Em 1903, o Dr.Niels Ryberg Finsen, fotobiólogo, ganhou o Prêmio Nobel de Medicina após demonstrar, eficazmente, que a exposição ao sol curava diversos tipos de doenças, incluindo o lupus vulgaris, ou tuberculose cutânea.

(…) Entretanto, nos últimos quarenta anos, a recomendação mudou radicalmente. Atualmente, se um pai ou uma mãe deixar o filho brincando em um parque ou praia, exposto ao sol e sem protetor solar, será fatalmente acusado de maus-tratos.

(…) Em julho de 2009, a Academia Americana de Dermatologia publicou uma “declaração revisada de posicionamento sobre a vitamina D, após uma revisão atualizada da gama crescente de literatura científica sobre essa vitamina e sobre a sua importância para a boa saúde.”  Muito embora extremamente tímida no apoio à exposição de luz solar, (…) a academia recomendou que seus membros permanecessem atentos à importância da vitamina D e que prestassem atenção aos pacientes com maior probabilidade de apresentar deficiência da vitamina. A academia declarou que os indivíduos com risco de desenvolver deficiência deveriam ser encorajados a aumentar a ingestão de vitamina D por meio da alimentação e dos suplementos – e não com a exposição à luz do sol. Fico feliz por ver que estamos progredindo, mesmo que a passos de tartaruga, (…).

(…) A enfermidade óssea e o raquitismo são, somente a ponta do iceberg chamado vitamina D. Um número cada vez maior de adultos desenvolve uma condição óssea relacionada à deficiência de vitamina D chamada osteomalacia, que também é conhecida como raquitismo adulto. Diferentemente da osteoporose, que é a doença dos ossos frágeis, indolor, e que acomete os adultos com idade mais avançada, a característica da osteomalacia é a dor vaga, mas frequentemente intensa, nos ossos e nos músculos. Por vezes, a doença é diagnosticada, equivocadamente, como fibromialgia, síndrome da fadiga crônica ou artrite.

Naturalmente, tendemos a pensar que a vitamina D é uma vitamina – uma substância que obtemos a partir dos alimentos, como a vitamina C ou a niacina, e que participa em reações biológicas que ajudam o corpo a funcionar perfeitamente. Mas, apesar do nome, a vitamina D não é, de fato, uma vitamina. E como já mencionado, não podemos depender unicamente da dieta para obtê-la. Entretanto, produzimos vitamina D na nossa pele. A vitamina D é uma classe em si própria. Os seus inúmeros efeitos no organismo ocorrem de modo similar à atuação dos hormônios, que agem influenciando as vias metabólicas, as funções celulares e a expressão de um número incontável de genes.

(…) As vitamina são obtidas por meio da dieta ou de suplementos, sendo vitais para o crescimento, para o desenvolvimento e para as reações metabólicas. Por outro lado, os hormônios são sintetizados pelo corpo a partir de precursores simples e se dirigem aos tecidos mais distantes, onde produzem um determinado efeito e provocam melhorias metabólicas múltiplas.

(…) Entretanto, antes de poder agir como hormônio, a vitamina D precisa passar por dois estágios de ativação – um no fígado e outro nos rins.

(…) A aplicação na pele de um protetor solar com um FPS de 8 permite a absorção de 90% da radiação UVB, diminuindo a capacidade de produção da vitamina D em, aproximadamente 90%. Do mesmo modo um FPS de 30 reduz a capacidade em 99%. (…)”

Retirado do livro: “Vitamina D”, 2012 – Editora Fundamento, de Michael F. Holick [Comprar o livro]

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: