Ômega-3 e a Nutrição Inteligente

Os esquimós da Groenlândia e os americanos nativos do Alasca, conhecidos por se alimentarem com carne de foca e baleia, muito ricas em gordura, sempre foram pouco afetados por doenças do coração. No Brasil, 35% das mortes em adultos são decorrentes de doenças cardiovasculares e câncer. Nos Estados Unidos existem atualmente mais de 60 milhões de pessoas portadoras de doenças cardíacas.

A resposta para esse enigma encontra-se na nutrição e no estilo de vida. Os povos que vivem nas regiões frias, além de praticarem atividade física, consomem peixes e frutos do mar que são muito pobres em gorduras saturadas e ricos num ácido graxo polinsaturado de cadeia longa, chamado ômega-3.

O ômega-3, encontrado no óleo de certos peixes, ajuda a reduzir a gordura total no sangue, reduzindo o LDL (mau colesterol) e aumentando os níveis de HDL (bom colesterol).

Além disso, auxilia na redução dos níveis de triglicérides (gorduras) na circulação sanguínea e participa de mecanismos de p roteção ao endotélio, as células que revestem as paredes das veias e artérias.

Um estudo da Universidade de Tsukuba, no Japão, mostrou que a produção de óxido nítrico, um potente dilatador dos vasos sangüíneos, aumenta poucos minutos após a ingestão de ômega-3.

A soma dessas ações leva a uma melhora na fluidez do sangue, ajudando a regular a sua coagulação, reduzindo a pressão arterial e diminuindo assim, o risco de ataques do coração e derrames cerebrais.

Porém não restam dúvidas de que esses efeitos positivos na saúde somente serão evidenciados quando acompanhados por uma alimentação equilibrada e um estilo de vida saudável.

Na natureza, as melhores fontes de ômega-3 são os peixes marinhos de águas frias, principalmente o salmão, bacalhau, arenque, anchovas, sardinhas, além de outros frutos do mar, como lagostas e camarão. Nozes e alguns óleos vegetais também apresentam bons níveis desse ácido graxo.

No dia-a-dia agitado que vivemos no século XXI, fica muito difícil incluirmos esses peixes ricos em ômega-3 na nossa dieta pois, além de caros, são difíceis de encontrar e não fazem parte do cardápio típico do brasileiro.

Para receber um benefício apreciável na nossa saúde, precisaríamos ingerir esses alimentos no mínimo 3 vezes por semana, segundo estudo publicado pelo Jornal da Associação Médica Americana.

Além disso, muitas pessoas diminuem drasticamente a ingestão de gorduras quando querem controlar seu peso, privando o organismo dos ácidos graxos essenciais.

Assim, o uso de suplementos de ômega-3 é uma maneira inteligente de complementar as necessidades diárias desse nutriente tão importante.

Use a cabeça e proteja seu coração!

Sucesso e saúde para todos.

Autor: Dr.Nataniel Viunisk, Médico nutrólogo.

Fonte: Revista Today – edição 87 – outubro/2005.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: